w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | quinta-feira, 14 de setembro de 2017

 
A Câmara de Vereadores de Garanhuns vem deliberando sobre a autorização
ou não para que o Uber possa operar no Município.
As discussões tiveram inicio após o Vereador Ary Júnior (PTB),
apresentar uma emenda aditiva ao Projeto de Lei nº 027/2017, que regulamenta a
atividade de Taxista em Garanhuns, dando nova redação a Lei 2.847, em
vigor desde 1997.

A proposta de Ary é proibir que o Uber seja implantado no Município. “Fica vedado o transporte individual privado
remunerado de passageiros, através de carros particulares cadastrados ou não em
aplicativos digitais e em meio de plataformas tecnológicas, ou não”, prevê
a emenda do Parlamentar, que começou a ser apreciada na manhã de hoje, dia 13.
É que o vereador Marinho da Estiva (PHS)
pediu vistas da proposta,
justificando a sua decisão na necessidade de discutir melhor o tema, sobretudo
com a sociedade, ação que acontecerá na próxima sexta-feira, a partir das
19h30min, também na Câmara Municipal.

A emenda voltará a ser apreciada na próxima quarta-feira, dia 20. Apesar
de não ter sido votado hoje, além de Ary, os vereadores Zaqueu Lins (PRB), Alcindo
Correia (PCdoB), Professor Márcio (PHS) e Betânia da Ação Social (PTB) se pronunciaram a favor da
matéria. Projeto de Lei nº 027/2017, que regulamenta a atividade de Taxista em
Garanhuns, foi aprovado
em 1ª votação. 


ARY EMITE NOTA – O vereador Ary Júnior enviou a seguinte nota sobre o assunto: 

“Prezados Senhores e Senhoras
de Garanhuns, venho através desta nota, informar a população em geral, que
emenda realizada por mim ao Projeto de Lei dos Taxistas, não se coloca contra
qualquer empresa que queira se instalar em Garanhuns. Nós estamos buscando
apenas o lado da legalidade. A emenda trata de que é necessário que as empresas
se legalizem com o Município e com as Leis Federais, como regem o CTB (Código
de Trânsito Brasileiro). O que ocorre com a classe dos taxistas e moto-taxistas,
que são totalmente legalizados e fiscalizados perante a Lei. Essa preocupação
não é só minha, é dividida por todos os Vereadores que aprovaram por
unanimidade nas comissões, após 15 dias de discussões sobre a referida matéria”. 
(Com
informações e imagens de http://www.vecgaranhuns.com/)