w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Sem representantes entre os 100 primeiros colocados do
ranking masculino, o Brasil tem em Teliana Pereira, que ocupa a 97ª posição na
lista feminina da WTA divulgada nesta segunda-feira, dia 13, sua melhor
tenista. Embora tenha perdido duas posições em relação ao ranking da semana
passada, a águas-belense Teliana Pereira supera João Souza, que está em 116º na
classificação da ATP.

Thomaz Bellucci, ex-número 21, é o 129º da lista. A
segunda melhor brasileira no ranking da WTA é Laura Pigossi, que aparece em
275º, e a terceira é Beatriz Haddad Maia( 297º lugar).

Além da marca expressiva em relação ao ranqueamento,
Teliana também coloca em seu histórico outro fato de destaque. Nesta segunda,
quando enfrentar a russa Anastasia Pavlyuchenkova, a pernambucana de 25 anos se
tornará a primeira brasileira a jogar na chave principal do Aberto da Austrália
desde 1993.

HISTÓRICO – Natural
do município de Águas Belas, Teliana migrou para o Paraná quando tinha apenas
oito anos de idade. Seu pai estava trabalhando em Curitiba em um Clube de Tênis
há quase dois anos, e retornou para buscar a família, que havia deixado em
busca de trabalho.

Iniciou a carreira profissional em 2005, depois de ótimas
atuações como juvenil, e em 2007 deu um pulo na carreira atingindo seu melhor
ranking, 196° do mundo, e tornando-se a número 1 do País. Em 2007 conquistou
três títulos seguidos no circuito future em Atenas (Grécia), em Amiens (França)
e em Foggia (Itália).

No Pan-americano do Rio de Janeiro, em 2007, Teliana
Pereira, ao lado da compatriota Joana Cortez, ganhou o bronze na modalidade
duplas.

Em 2013, Teliana, a então 156ª colocada do ranking
mundial e única brasileira no top 300, venceu a francesa Alizé Cornet, a 36ª do
mundo, no torneio WTA de Bogotá. Com o resultado, ela se tornou a primeira
brasileira a alcançar as quartas de final de um WTA desde Vanessa Menga, que
atingiu a mesma fase em 1999, também em Bogotá. No dia seguinte, derrotou a
luxemburguesa Mandy Minella, chegando à semifinal. Na semi, perdeu para a
argentina Paula Ormaechea. Com essa campanha, subiu 40 posições no ranking e em
25/02/2013 aparecia como a 116ª melhor do mundo. Além disso, foi a melhor
campanha de uma brasileira desde 1989, quando Niege Dias foi às semis do WTA de
Niagara Falls, nos Estados Unidos.

Em maio de 2013, Teliana quase obteve a vaga para a chave
principal de Roland Garros. Chegou à última rodada do qualyfing , e chegou a
ser uma Lucky Loser (tenista que entra na chave principal de um Grand Slam se
tiver perdido na última rodada do qualy e se alguém desistir da chave), mas não
houve desistências. Ela também foi à segunda rodada do qualy de Wimblebon .
Conquistou dois títulos ITF de 25 mil dólares (Perigueux e Denain ), com isso
obtendo pontos suficientes para alcançar o 105º posto do ranking mundial
feminino.

Em 29 de julho de 2013, se tornou a primeira tenista
brasileira a chegar no top 100 mundial de simples desde o ano de 1990, quando
Andrea Vieira, em 16 de abril deste ano, foi a 95ª colocação do ranking
mundial.

Em setembro de 2013, Teliana chegou a 3 finais seguidas
de torneios ITF de U$ 25 mil, ganhando os três títulos (Mont-de-Marsan, St.
Malo e Sevilha). Como resultado, em 7 de outubro consolidou seu nome entre as
cem melhores tenistas do mundo, e neste momento é a melhor posição de um
tenista brasileiro.
(Com informações do
Blog de Ronaldo César / http://virgula.uol.com.br
 e http://pt.wikipedia.org/wiki/Teliana_Pereira)