w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O Garanhuns Jazz Festival (GJF),
evento criado há sete anos como uma opção para quem deseja uma alternativa de
diversão mais tranquila durante o Carnaval, chega em sua 7ª edição com uma
série de novidades que vão transformar Garanhuns, na capital
do jazz e do blues entre os dias 1º e 4 de março. Serão diversos
shows em palcos descentralizados, workshops e oficinas musicais, com conforto e
horários democráticos.

A grade de atrações desta edição
também merece destaque especial. Caprichada, a programação conta com diversos
músicos pernambucanos, brasileiros – de estados como Rio de Janeiro, São Paulo,
Minas, Fortaleza, Paraíba, etc – e do exterior. Entre os nomes já confirmados,
podemos citar Nasi, vocalista da banda de rock and roll Ira!. O músico se
apresentará no palco principal do GJF antes de entrar em turnê nacional, depois
de vários anos separados, com a banda que o consagrou. Também já está
confirmada a participação do The Headcutters, banda oriunda de Santa Catarina
que se inspira no timbre e na sonoridade do blues dos anos 50 e 60 para fazer
som, e da dupla  “Salimanga,” formada pelo guitarrista BC e pelo
saxofonista Paulo Rogério, músicos que também integram a banda “Móveis Colonais
de Acaju” e que mesclam ritmos brasileiros como samba, choro e baião com
cadências latinas e com o jazz. Eles dividirão o palco com grandes
artistas pernambucanos, como Beto do Bandolim.
O público ainda poderá conferir o
gaitista Jefferson Gonçalves, o guitarrista Edu Ardanuy, da banda Dr.
SIN,  o virtuoso guitarrista argentino radicado no Brasil Victor Biglione,
e o também guitarrista e violonista pernambucano Wallace Seixas. Dudu Lima,
parceiro musical de Stanley Jordan que o considera o melhor baixista do Brasil,
e a Contrabanda, um dos grupos instrumentais com maior destaque no cenário
local, também marcam presença. De acordo com Giovanni Papaleo, músico
idealizador e curador do evento, ao lado da Mono Produções Artísticas, além de
abrir espaço para os artistas iniciantes, o festival tem como
objetivo promover parcerias entre eles e músicos já consagrados do Brasil e do
exterior. “A ideia é que o GJF seja reconhecido pelo seu perfil democrático e
inclusivo. Queremos gerar intercâmbios culturais e valorizar nossa música”,
explica. Este ano, o festival também conta com dois super shows de
grandes nomes do blues de Chicago, ainda mantido em segredo. 
Já entre as novidades
do festival, realizado pela Prefeitura de Garanhuns, podemos citar o
upgrade do palco Pau Pombo, montado no Parque Ruber Van Der Linden, que este
ano vai contar com uma super estrutura de som, iluminação e acomodação. Outra
novidade é que, pela primeira vez na história do festival, o GJF receberá
um representante de peso da bossa nova, com nome ainda mantido em segredo.
Nesta edição também acontece a estreia do show “Divas”, que levará ao palco
grandes revelações do jazz, blues e soul music. 
Em 2014, o GJF inova ao lançar um
concurso cultural, todo movimentado através das redes sociais, para dar mais
espaço aos artistas iniciantes. A atração vencedora, eleita através do voto
público e por uma banca de jornalistas especializados em música, irá se
apresentar em um dos palcos principais do festival. Durante o evento,
ainda haverá sorteios de instrumentos musicais. E, falando em instrumentos, os
amantes do som potente das guitarras podem ficar sossegados, o Guitar Night
está mantido na grade e mais uma vez contará com guitarristas
consagrados. 
Haverá também o tradicional concurso
de frases, que premiará os vencedores com instrumentos musicais cedidos por
grandes nomes da indústria musical, além do Jazz Kids, ministrado
pelo baterista garanhuense Bruno Fonseca e pelo gaitista Jefferson Gonçalves,
que oferece atividades culturais para as crianças. 
O grande homenageado desta edição
será Dominguinhos, músico nascido em Garanhuns no ano de 1941. Em
tributo ao mestre, que faleceu em 2013, um dos palcos principais do evento, o
Ronildo Maia Leite, será montado na Praça Cultural Mestre Dominguinhos. Durante
os quatro dias de festival, as atrações incluirão no repertório canções de
Dominguinhos, interpretando-as em ritmo de jazz e blues. 

Saiba mais sobre o Garanhuns Jazz Festival. Clique em Mais Informações: 

Outras surpresas devem ser anunciadas
com a divulgação completa da grade de atrações.
Movimentando o turismo e a economia
– 
Nesta 7ª edição, a expectativa da organização
do Garanhuns Jazz Festival é de que aproximadamente 30 mil
pessoas visitem Garanhuns, também conhecida como a “Suíça Pernambucana”
por causa de seu clima ameno durante o verão e das baixas temperaturas durante o
inverno. O grande fluxo de turistas deve injetar cerca de R$ 2,5 milhões na
economia do município, localizado a 228 km da capital pernambucana,
durante os dias de Carnaval. Mais de 800 empregos diretos e 500 indiretos estão
sendo gerados pelo GJF. E os benefícios não param por aí. A rede hoteleira da
cidade, por exemplo, formada atualmente por 22 empreendimentos, entre hotéis e
pousadas, deve atingir 100% de ocupação durante o festival. Com opções
para todos os bolsos e gostos, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais
(APAE) de Garanhuns oferecerá durante o festival serviço de
hospedagem, do tipo albergue, com diária de R$ 40 e café da manhã incluso. O
valor arrecadado será destinado ao pagamento de gastos básicos da instituição e
à participação em congressos nacionais.
Uma superestrutura está sendo montada
para garantir o conforto e a segurança das pessoas que irão assistir aos shows.
Toda a área reservada para o evento terá cobertura e iluminação especial, além
de contar com cadeiras e mesas totalmente gratuitas. “Nossa área coberta terá
capacidade para oito mil pessoas sentadas. O palco e a estrutura de som também
estão maiores”, diz o prefeito Isaías Régis. Além disso, o público contará com
minipraças de alimentação – com quiosques de alguns dos melhores bares e
restaurantes da cidade –, banheiros químicos e surpresas relacionadas à
decoração. “Quem chegar a Garanhuns vai se surpreender com a
decoração alusiva aojazz”, afirma Izaías.
O GJF é considerado atualmente um dos
maiores e melhores festivais de jazz e blues do país, recebendo,
inclusive, elogios de bandas e de críticos musicais de vários lugares do mundo.
“O festival já é uma referência para o segmento. E está tomando
proporções cada vez maiores, graças também a força da internet. Através das
redes sociais recebo inscrições, mensagens e elogios do mundo inteiro, o que
demonstra o alcance que a boa música tem”, explica Papaleo, que vê no fenômeno
uma oportunidade de fortalecer ainda mais o jazz e o blues. Pioneiro,
em 2009, o projeto GJF foi o vencedor do II Prêmio Mestre Salustiano, concedido
pelo Governo do Estado aos melhores trabalhos que fomentam o turismo nos
municípios de Pernambuco. “Isso é uma grande satisfação. Mostra que estamos
indo pelo caminho certo. Porém, a responsabilidade de fazer
um festival maior e melhor a cada ano também aumenta”.
Jams Sessions – Para
celebrar a boa música e abrir espaço para os artistas iniciantes, durante
o Garanhuns Jazz Festival 2014, o palco Pau Pombo abrirá
Jams Sessions logo após os shows oficiais de cada dia, tudo em clima de
descontração. E os artistas interessados em participar já podem tentar a sorte,
para isso basta enviar uma mensagem para a Fanpage do evento (www.facebook.com/pages/Garanhuns-Jazz-Festival/201934933154316?fref=ts),
informando contatos e dias disponíveis. No título, especificar: Jam Session.
Serão selecionados até duas performances por dia.
ATRAÇÕES CONFIRMADAS
Dia 1 de março – Headcutters,
Jefferson Gonçalves
Dia 2 de março – Ivor Prado Band, Ari
Borger e Tia Carrol, Nasi, Rodrigo Morcego, Arthur Pilipe & Quintessence,
Wallace Seixas, Dudu Lima
Dia 3 de março – Contrabanda, Naná
Maran

Dia 4 de março – Salimanga, Beto
Bandolin, Edu Ardanuy, UpTown Band, Victor Biglione, Vitage Pepper e Joanatan.