BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
quinta-feira, 22 de abril de 2021

O Prefeito Sivaldo Albino (PSB) criou e já realizou a
primeira reunião do Comitê Extraordinário de Infraestrutura das Chuvas (CEIC),
nesta quinta-feira, dia 22. Participam do CEIC as secretarias de Infraestrutura,
Obras e Serviços Públicos; Planejamento, Gestão e Desenvolvimento Econômico;
AMSTT; Procuradoria Geral e Defesa Civil. Ao todo, segundo dados da Defesa
Civil Municipal, Garanhuns registrou nas últimas 24 horas um acumulado de 75.2
mm de chuvas.

De acordo com a Prefeitura, com a medida, o Prefeito busca
agilizar a resolução de antigos problemas no sistema de esgotamento e
escoamento das águas das chuvas em Garanhuns, dando prioridade para a rua Antônio
Paulo de Miranda, onde o volume d’água das chuvas caídas nessa quarta-feira,
dia 21, abriu uma cratera que engoliu um carro e fez uma vítima fatal, Cláudia
Nayara Melo, de 24 anos (relembre clicando AQUI).

Uma das primeiras missões do Comitê Extraordinário é
apresentar relatórios dos estragos causados pelas chuvas no Município, além de levantamentos
de obras emergenciais a serem realizadas; pessoal a ser utilizado; prioridades
e projetos que possam resolver de forma permanente estes problemas, que segundo
a Prefeitura, são antigos e atormentam a população há vários anos. 

“Temos
relatados estragos de toda ordem, e precisamos agilizar. O Comitê vai nos
apresentar estes dados e podemos partir para o Decreto (de emergência) para
agilizar contratações que possam iniciar o mais rápido possível estas obras,
com prioridade à rua Antônio Paulo de Miranda, adjacências e demais ruas que
sofreram em suas infraestruturas com as fortes chuvas dos últimos dias. Nosso
Planejamento vai nos entregar projetos e custos para buscarmos os recursos, com
o estado, União e recursos próprios”.

TRAGÉDIA EM GARANHUNS – Ainda
no material distribuído a Imprensa sobre a criação do Comitê Extraordinário de
Infraestrutura das Chuvas, o Governo de Garanhuns voltou a comentar a tragédia
que resultou na morte de Cláudia Nayara Melo e de vários estragos materiais.

“Segundo moradores da localidade, o problema é antigo, o
sistema de esgotamento não comporta a quantidade das águas e vive em constante
reparos. Desta vez, a tubulação antiga não suportou as fortes chuvas, cedeu e
criou a cratera. A Prefeitura já realizava outra obra em outro ponto da rua,
aguardava somente o tempo segurar para repor o calçamento com concretagem. Os
dois buracos não têm relações”, pontuou a assessoria.