BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
sexta-feira, 18 de outubro de 2019

O secretário de Meio
Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco, José Bertotti, criticou a atuação do
Governo Federal no desastre com óleo que atinge praias no Estado e em
outros locais do Nordeste. De acordo com ele, as barreiras utilizadas na
contenção da substância acabaram e a União ainda não providenciou o
envio de novos materiais.

“Desde terça-feira (15),
o comandante da Marinha aqui tem solicitado apoio do Governo Federal para
receber mais barreiras de contenção. Nessa quinta-feira, dia 17, solicitei ao
ministro do Meio Ambiente, mas ainda não recebi retorno. Hoje, essas barreiras
se esgotaram”, explicou Bertotti. 
Diante do atraso na entrega de
barreiras de contenção pelo Governo Federal, a administração estadual
deve contratar fornecedores do material.


“A Área de Proteção
Ambiental (APA) de Guadalupe precisa de 700 metros de barreira. Essas barreiras
não chegaram, é bom que fique claro. Hoje, inclusive, tomamos a iniciativa de
contratar, fizemos os orçamentos, temos a autorização do Governador, e mais, o
Ministério Público Federal disse o seguinte: podem contratar porque essa conta
terá que ser paga em última instância, quando o Governo Federal descobrir quem
foi o causador da mancha”, afirmou o secretário. A assessoria de imprensa
do Ministério do Meio Ambiente confirmou que o ministro do Meio Ambiente vem ao Estado, na próxima terça-feira, dia 22,
para discutir a questão do desastre ambiental com o governador Paulo
Câmara, no Palácio do Campo das Princesas.


MPF VÊ GOVERNO FEDERAL
OMISSO –
Por causa das manchas de óleo nas praias do Nordeste, o Ministério Público Federal (MPF) ajuizou nova ação contra a União nessa
sexta-feira, dia 18
. O processo requer que a Justiça Federal
obrigue a União a acionar em 24 horas o Plano Nacional de Contingência para
Incidentes de Poluição por Óleo em Águas sob Jurisdição Nacional. Os pedidos da
ação judicial abrangem toda a costa do Nordeste.


Para o Ministério Público
Federal, a União está sendo omissa ao protelar medidas protetivas e não atuar
de forma articulada em toda a região dada a magnitude do acidente e dos danos
já causados ao meio ambiente.


DANO AMBIENTAL EM
PERNAMBUCO –  
desastre com óleo já atingiu locais nas cidades de São José da
Coroa Grande, Barreiros, Tamandaré e Sirinhaém, no Litoral Sul. “Já foram seis
praias em Pernambuco: Carneiros e Boca da barra, em
Tamandaré, Mucambinhas, em Barreiros, Ilha de Santo Aleixo, A Ver o Mar e
Guaiamum, em Sirinhaém. Essas praias receberam o toque de óleo e foi feito
o trabalho de contenção e limpeza”, disse o secretário.



“Os rios Persinunga, em
São José da Coroa Grande, e Una, em Barreiros, e Rio Formoso, em Tamandaré,
sofreram também o toque de óleo. No caso do Persinunga e do Una, já há
barreiras de contenção para que o óleo não alcance os estuários. Estamos
trabalhando também com barreiras de contenção no Rio Sirinhaém e no Rio
Maracaípe, em Ipojuca, onde ainda não houve chegada de óleo”,
explicou Bertotti.
(Com informações e imagens do JC Online. CONFIRA)


CLIQUE EM PLAYER E CONFIRA
REPORTAGEM DA TVJC: