BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
sexta-feira, 01 de janeiro de 2021

Durante entrevista na Marano
FM, o vereador Gersinho Filho (PTB) questionou o poder de fiscalização que a
Câmara de Vereadores de Garanhuns exercerá perante o Governo Sivaldo Albino, já
que o futuro presidente da Casa Raimundo de Moraes, Johny Albino (PSB), é irmão
do Prefeito que será empossado na tarde de hoje, dia 1º (relembre clicando AQUI).
 

O Blog destacou a entrevista e manteve contato com
Sivaldo e Johny Albino para que pudessem comentar as declarações de Gersinho
Filho, que é sobrinho do Prefeito e do Presidente da Câmara. Nem Sivaldo, nem
Johny quiseram se pronunciar e delegaram ao Vereador Eleito, Luizinho Roldão (PSB),
que assumirá a liderança do Governo na Câmara Municipal, a missão de responder
a ofensiva de Gersinho.    
 

Segundo o líder do Governo Sivaldo
Albino, “todos os que declararam voto a Johny Albino, o escolheram para
conduzir os trabalhos do Legislativo de forma independente, confiando na sua
competência e conhecimento da Casa” e que “a função de fiscalizar, com a qual
Gersinho parece preocupado, é de competência dos 17 vereadores, inclusive dele,
que é sobrinho do Prefeito. Será que por conta desse parentesco ele vai estar
impedido de cumprir seu papel?”, indagou Luiznho, em nota enviada ao Blog via Johny Albino.
 

Ainda durante a entrevista na
Marano FM, Gersinho sinalizou a prática de nepotismo com a nomeação de Sinval
Albino (Fá Albino), irmão de Sivaldo, para o cargo de secretário de
Agricultura, Abastecimento e Pecuária. O Líder do Governo também abordou a
questão. “Sivaldo tem muitos irmãos, a maioria deles com condições de exercer
cargos na Prefeitura de Garanhuns. Escolheu somente um deles, experiente,
qualificado para ocupar uma Secretaria e acho que o Prefeito foi bastante
comedido e sua decisão é bastante compreensiva e será inteiramente aceita pela
população do Município”, pontuou Luizinho Roldão, que finalizou, classificando
o gesto de Gersinho como de “uma oposição apressada” a “um Governo que ainda
não começou”. Clique AQUI para conferir a nota na Íntegra.


 


NOTA ENVIADA POR JOHNY ALBINO

“O futuro líder do Governo na
Câmara Municipal, Luizinho Roldão, que foi o vereador mais votado do PSB na
eleição de novembro, rebateu as críticas de Gersinho Filho (PTB) feitas a
Sivaldo e Jhony Albino, em entrevista na Rádio Marano e reproduzidas em texto
desse blog.
 

O vereador,  como presidente que já foi da Casa Raimundo
de Moraes, deveria saber que o presidente da Câmara exerce a função Legislativa
orientando a elaboração das leis, seja dirigindo os trabalhos da casa, presidindo
o plenário, seja dando voto de desempate nas deliberações. “Ao presidente cabe
a tarefa de promulgação das Leis, Decretos Legislativos, Resoluções, nos termos
da Lei Orgânica Municipal e do Regimento Interno da Câmara”.
 

Todos os que declararam voto a
Jhony Albino, o escolheram para conduzir os trabalhos do Legislativo de forma
independente, confiando na sua competência e conhecimento da Casa.  “Ora, a função de fiscalizar, com a qual
Gersinho parece preocupado, é de competência dos 17 vereadores, inclusive dele,
que é sobrinho do prefeito. Será que por conta desse parentesco ele vai estar
impedido de cumprir seu papel?”
 

Na minha opinião, o colega de
Câmara está forçando um pouco a barra ao falar em nepotismo, por que dos quase
20 cargos com status de primeiro escalão da prefeitura um deles vai ser ocupado
por um irmão do prefeito. “Sivaldo tem muitos irmãos, a maioria deles com
condições de exercer cargos na Prefeitura de Garanhuns. Escolheu somente um
deles, experiente, qualificado para ocupar uma secretaria e acho que o prefeito
foi bastante comedido e sua decisão é bastante compreensiva e será inteiramente
aceita pela população do município.
 

Gersinho Filho não foi feliz
ao citar as administrações de Izaías, Luiz Carlos e Silvino como exemplos,  porque esses prefeitos não nomearam parentes.
“Todos em Garanhuns sabem que um usou a estrutura da prefeitura para eleger a
mulher deputada, outro teve problemas com a filha, que mesmo sem cargo
comandava a área de finanças e este que está deixando o cargo envolveu a mulher,
filha e filhos em negócios suspeitos que foram denunciados no Ministério
Público por um ex-funcionário seu. Vejo uma oposição apressada do colega
vereador, a um governo que ainda não começou.”