BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
sábado, 29 de maio de 2021

O Ministério Público de Pernambuco,
através da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania de Garanhuns, com o
apoio da Gerência Ministerial de Arquitetura do Órgão, concluiu o relatório
preliminar sobre as causas do acidente que vitimou Cláudia Nayara Claudino de
Melo, de 24 anos. Ela faleceu no último dia 21 de abril, após acidente registrado
na rua Antônio Paulo de Miranda, no centro de Garanhuns.

Os detalhes do documento,
composto por 17 páginas, foram publicados com exclusividade pelo Portal V&C
Garanhuns, e traz relatórios emitidos pelo Corpo de Bombeiros; Agência Pernambucana
de Águas e Climas (APAC); Compesa e pela Secretaria Municipal de
Infraestrutura, Obras e Serviços Públicos de Garanhuns.

De acordo com o relatório, e
também com base nos relatos dos Órgãos, o engenheiro civil Roubier Muniz
de Souza, que é analista do MPPE, concluiu que o acidente que vitimou Nayara
Melo se deu pelo rompimento da tubulação de drenagem pluvial e que o sistema de
drenagem não suportou a pressão devido a força das águas ocorridas na noite do
dia 21 de abril. “Foi verificado também pela análise do MPPE que havia uma
galeria de menor dimensão acima do local do acidente, o que não é regular.
Segundo prevê a Engenharia, não deve haver diminuição de dimensão das tubulações
sob pena de esta trabalhar sob muita pressão”, registrou o V&C. 

“Dia 16 abre-se o
primeiro buraco provocado pelo rompimento da tubulação de drenagem por excesso
de água a ser transportada além da capacidade do coletor pluvial. Na chuva de
21 de abril, o dia da morte da Nayara, o material que tinha sido levado pela
tubulação, fruto do primeiro rompimento, obstruiu a tubulação, impedindo a
vazão da água que se encontrava retida. Isso causou o segundo rompimento. 
As duas crateras eram conectadas pela tubulação”, diz o relatório do MPPE,
que concluiu ainda haver um subdimensionamento da rede de drenagem na rua Antônio
Paulo de Miranda, que, inclusive, pode fazer com que surjam novas crateras a
depender da quantidade de chuvas.

De acordo com o Promotor Domingos
Sávio, a Prefeitura de Garanhuns já teve ciência do teor do relatório e uma
reunião será realizada na próxima sexta-feira, dia 4, visando a celebração de Termo
de Compromisso de Saneamento para tratar da “inadequação detectada no sistema
de drenagem de águas pluviais no local onde ocorreu o rompimento da tubulação”,
finalizou o V&C Garanhuns. Por ser técnico e específico do setor de Engenharia,
o relatório emitido pelo Ministério Público não traz informações sobre
possíveis responsabilizações quanto ao acidente que vitimou Cláudia Nayara
Claudino de Melo. (Blog do Carlos Eugênio, com informações e imagens de http://www.vecgaranhuns.com/)