w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | quinta-feira, 06 de abril de 2017

A aposentada Judite Araújo da
Silva, de 62 anos, juntamente com o filho Luiz Carlos Araújo, decidiram
investir R$ 1.999,00 num refrigerador Consul (Bem Estar – Frost Free 2 Portas –
437 Litros – Branco). A ideia era vender a geladeira antiga, comprar uma nova e
economizar energia elétrica.

O negócio foi fechado junto a empresa Ricardo Eletro, localizada na
avenida Santo Antônio, aqui em
Garanhuns, no último dia 3 de março, com o prazo de entrega para pouco mais de
30 dias. No dia de hoje, 5, um dia antes do prazo final para entrega do
eletrodoméstico, Dona Judite voltou a loja e foi surpreendida com a informação
de que a loja não cumpriria o prazo acertado no ato da compra.



Segundo relato de familiares de Dona Judite, ao chegar à loja, Ela foi
informada pelo vendedor que houve um problema no carregamento e que a Geladeira
que ela tanto precisa só será entregue daqui a duas semanas. Ainda segundo familiares de Dona Judite, ela
teria entregue a geladeira antiga ao comprador e agora terá que jogar fora toda
a comida que sobra das refeições por conta da falta de compromisso da loja
instalada no centro de Garanhuns. Eles prometem procurar os Órgãos de Defesa do Consumidor no Município.


O Blog do Carlos Eugênio está a disposição da direção da Empresa,
através do e-mail: [email protected],
para publicar a sua versão quanto aos fatos registrados nesta reportagem.


ENTENDIMENTO JURÍDICO – No entendimento do advogado Marcelo Moreira,
publicado no
site do Estadão, se a loja não entregar as mercadorias adquiridas
no prazo combinado, o consumidor deve exigir solução. “O problema referente à
logística é assunto de exclusivo interesse da empresa e atraso na entrega do
produto por tal motivo não é justificável”, registra o Advogado, que orienta o
consumidor a procurar o Procon ou o Juizado Especial Cível.