w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | quinta-feira, 22 de outubro de 2020

O Juiz Márcio Bastos Sá
Barretto, titular da 56ª Zona Eleitoral, voltou a conceder liminar ao candidato
Doutor Silvino (PTB) e determinar um direito de resposta dentro do Guia Eleitoral do
candidato Sivaldo Albino (PSB). É que Sivaldo voltou a atacar Silvino, o
acusando de deixar um presídio se instalar em Garanhuns e não ter autonomia
para manter a fábrica da Coca-Cola na Cidade em meados dos anos 90/2000. Os “ataques”
de Sivaldo foram veiculados no Guia Eleitoral veiculado hoje, dia 22, bem como
nas inserções de trinta segundos exibidas nas Rádios de Garanhuns nesta quinta.
 

“Interessante esclarecer que a
instalação de um presídio na Cidade é ato de gestão administrativa Estadual,
devendo no caso ser esclarecido ao eleitor qual teria sido a participação do
então Prefeito e candidato Silvino Duarte. O mesmo entendimento vale para o
fechamento de uma fábrica privada, sem atribuir ao candidato a Prefeito qual
teria sido a parcela de responsabilidade. A forma como foi colocada a
informação gera uma desinformação, confundindo o eleitor”, registrou o Magistrado
em sua decisão liminar, que completou: “os fatos atribuídos ao candidato Silvino
Duarte além de estarem fora de suas atribuições administrativas, não foram
acompanhadas de elementos que comprovassem os fatos apresentados”, destacou o
Juiz Márcio Bastos Sá Barretto.

O Juiz Eleitoral decidiu
conceder direito de resposta ao candidato Doutor Silvino (PTB) e determinou a retirada
do ar das inserções veiculadas nas rádios locais, que fizessem qualquer referência
ou vinculação a Silvino Duarte com a instalação de Presídio na cidade de
Garanhuns, bem como com o fechamento da fábrica da Coca-Cola. O Magistrado
também fixou uma multa de R$ 5 mil reais ao candidato Sivaldo Albino, em caso
de novo descumprimento, seja no guia eleitoral ou em inserção nas rádios.
 

Em contato com o Blog, a coordenação
da Coligação Garanhuns segue mais Forte registrou: “quem instalou e em seguida
retirou a Unidade Prisional da nossa Cidade foi o Governo do Estado” e a “Coca-cola,
por ser uma Gigante Multinacional, é quem decide onde e quando ativa ou
desativa seus empreendimentos, sem precisar de consulta prévia a Prefeitos ou
Prefeituras, pois sua Gestão não é municipalizada e sim Mundial”, registrou a
Coligação representada pelo candidato Doutor Silvino (PTB).