w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | terça-feira, 05 de setembro de 2017

 
Depois de questionar a
veracidade da informação, repassada pela Prefeitura de Garanhuns, de que o Desembargador Francisco José dos
Anjos Bandeira de Mello, da 2ª Câmara Cível, do Tribunal de Justiça de
Pernambuco (TJPE), determinou aos professores da Rede Municipal de Ensino de
Garanhuns, que retornassem imediatamente às suas atividades, em conformidade
com o calendário escolar pré-estabelecido pela Secretaria de Educação de
Garanhuns,
o diretor do Sindicato dos Professores de Pernambuco (SINPRO-PE),
George Sanguineto, emitiu nova nota em que orienta os Profissionais de Educação
a acatarem a decisão judicial.  
“Orientados pelo nosso Departamento Jurídico na pessoa de Dra. Karina,
precisamos voltar para as salas de aula às terças-feiras até que o SINPRO, dentro
do prazo legal, apresente resposta oficial à ação”, registou Sanguineto.
Segundo o diretor do SINPRO, “a
Prefeitura usou de má fé quanto
deturpou nosso ofício 93/2017 alegando que estávamos ali, entrando em um
movimento paredista, quando todos sabemos que estamos apenas cumprindo a
jornada que nos é paga, de acordo com o Projeto de Lei nº 028/2017, aprovado
pela Câmara de Vereadores”, registrou o Sindicalista, que reafirmou que a luta
dos Professores seguirá forte: “precisamos dar este passo atrás para chegarmos
à vitória definitiva. Lembrem-se: não estamos desistindo de nada, apenas
acatando “momentaneamente” uma ordem judicial”, frisou George
Sanguineto.
Para conferir a Nota na Integra clique AQUI.

 
NOTA DO SINPRO 

“No final de expediente da última sexta feira
1/8, o SINPRO foi notificado sobre o procedimento Ordinário 0483081-9 imputado
pelo Desembargador Francisco José dos Anjos Bandeira de Mello, concedendo
liminar ao Município de Garanhuns com relação a “não prestação das aulas
aos alunos da Rede pública municipal às terças feiras” sob pena de multa
estabelecida no valor de R$ 30.000,00 por cada dia de descumprimento.
Sabemos que, claramente, a Prefeitura usou de má fé quanto deturpou
nosso ofício 93/2017 alegando que estávamos ali, entrando em um movimento
paredista, quando todos sabemos que estamos apenas cumprindo a jornada que nos
é paga de acordo com o projeto de lei 028/2017 aprovado pela câmara de
Vereadores.
No entanto, neste momento, orientados pelo nosso departamento jurídico na
pessoa de Dra. Karina, precisamos voltar para as salas de aula às terças feiras
até que o SINPRO, dentro do prazo legal, apresente resposta oficial à ação .
Não há porque desanimar, este é um trâmite normal, sempre que os trabalhadores
começam sua luta, o poder público consegue liminares no intuito de barrar nosso
ímpeto aquilo que falávamos nas assembleias, sempre que tomamos decisões desse
porte corremos os riscos da mesma. Precisamos dar este passo atrás para
chegarmos à vitória definitiva. Lembrem-se ,não estamos desistindo de nada,
apenas acatando “momentaneamente” uma ordem judicial. Continuemos
Firmes na luta!”
George Sanguineto
 Diretor do SINPRO PE”.