BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

No momento em que os casos de
COVID-19 voltam a aumentar, Garanhuns e o Agreste Meridional correm o risco de
perder 10 dos 34 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) destinados ao atendimento de pacientes graves com
COVID-19. É que os leitos de UTI em funcionamento no Hospital Perpétuo Socorro, que apesar
de ser privado, realiza o atendimento pelo SUS, com pacientes encaminhados via
central de leitos do Estado, podem ser fechados, já que o Governo do Estado,
através da Secretaria Estadual de Saúde, não vem repassando os recursos
financeiros no prazo pactuado com aquela Unidade Hospitalar.

De acordo com o Diretor Administrativo
do Hospital Perpétuo Socorro, José Tinoco, atualmente o Estado está em débito
para com o Hospital em relação aos leitos UTI COVID, fato que vem levando a Unidade a ter dificuldades em honrar seus compromissos financeiros, inclusive sua folha de pagamento.

“O Hospital nunca se negou a
receber os pacientes enviados pelo Estado; dispôs-se a firmar a parceria para
contribuir na linha de frente de combate à Pandemia, mas se trata de uma
empresa privada, que precisa se manter, até para prestar outros serviços à
comunidade. Sem o pagamento pelos serviços, há risco de descontinuidade dos
leitos de UTI COVID-19 do Hospital Perpétuo Socorro”, registrou José Tinoco,
durante Reunião Ministerial promovida pela 1ª Promotoria de Justiça de Defesa
da Cidadania de Garanhuns, na última quinta-feira, dia 10.

“Os custos de manutenção das UTIs
são altos, com EPIS (Equipamentos de Proteção Individual), medicamentos, equipe
de trabalho e fornecedores”, justificou José Tinoco, prevenindo para que a
população não seja pega de surpresa com o eventual fechamento da UTIs COVID do
Hospital Perpétuo Socorro. O alerta do Diretor do Hospital, foi reforçado pelo Defensor
Público, Henrique Alencar, que sugeriu ao Ministério Público que oficie o
Estado, conjuntamente com a Defensoria Pública, requerendo esclarecimentos
sobre a situação relatada pelo Diretor do Perpétuo Socorro. A sugestão foi acatada
pelo Promotor Domingos Sávio, que inclusive colocou a providência em seu despacho
ao final da Reunião Ministerial. 

É importante registrar que após a
desativação da Unidade COVID-19 que funcionava na UPAE/Garanhuns, o Agreste
Meridional passou a contar com apenas 20 leitos de UTI/COVID públicos e
voltados ao atendimento de pacientes graves de mais de vinte Municípios da
Microrregião. São 10 no Hospital Perpétuo Socorro e outros 10 no Hospital
Regional Dom Moura. Na Cidade ainda há outros 14 leitos de UTI voltados ao tratamento
dos pacientes graves com COVID-19, porém são privados e funcionam no Hospital
Monte Sinai. 
O Blog está a disposição do Governo do Estado para publicar a sua versão quanto aos fatos trazidos nesta reportagem. 

OCUPAÇÃO DE UTI´S COVID EM
GARANHUNS –
De acordo com informações repassadas ao Ministério Público na
reunião virtual da última quinta-feira, dia 10, no Hospital Monte Sinai, que
realiza atendimento particular, incluindo convênios, dos 14 leitos de UTI, sete estavam ocupados no último dia 10. Já o Hospital Nossa Senhora do
Perpétuo Socorro apresentava na última quinta, dia 10, 100% de ocupação
em seus dez leitos de UTI/COVID-19. O Hospital Regional Dom Moura estava com 50% de lotação.
Dos 10 leitos de UTI disponíveis, cinco estavam ocupados no último dia 10. 

O QUE A MANO IMÓVEIS PODE FAZER POR VOCÊ?

 Acesse: https://www.facebook.com/manoimoveis 

Ligue: (87) 3764-1088 e (87) 99926-0223.