BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
terça-feira, 30 de março de 2021

Atualizada as 10h30min, de 30/03/2021: 

Uma grande polêmica se gerou no
Conselho Tutelar de Garanhuns. É que depois de a Conselheira Tutelar, Adriana
Bezerra, de 51 anos, ser internada no Hospital Mestre Vitalino, em Caruaru, no
último dia 17, o Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA)
convocou a 1ª suplente nas últimas
eleições do Órgão, Odete Nativo, para que assumisse a função pelo período em
que durasse a licença médica de Adriana Bezerra. 

Todavia, segundo Adriana, a convocação
temporária da Suplente teria sido irregular, já que não seguiu o Regimento
Interno do Conselho Tutelar. “Houve de fato a antecipação na convocação e
solicitação da Suplente”, registrou Bezerra, em publicação no Blog Comando Policial, relatando ainda não ter apresentado Atestado, Laudo e Histórico
Médico solicitando a Licença Médica. Saiba mais clicando 
AQUI.

Em nota enviada ao Comando Policial, os Conselheiros Tutelares registraram que o Colegiado não tem
competência para avaliar o estado de saúde da Conselheira. “O que temos é
apenas um parecer Jurídico da Procuradoria Geral do Município de Garanhuns que
opina para a realização de perícia na junta médica deste Município que ateste
sua real condição. Salientamos também que este colegiado enviou a Secretária de
Administração Ofício de Nº 2021.03.0061, solicitando que o mesmo se pronuncie
quanto ao parecer da Procuradoria Geral deste Município, estando no aguardo de
resposta”, registra trecho na Nota assinada pelos conselheiros Marquinhos do
Galeto; Genoveva Alves; Isabel Chalegra  e Stoni Costa.
Clique AQUI e saiba mais sobre o assunto.

NOTA DO BLOG – No último dia 19 de março, após verificar publicação no
Diário Oficial dos Municípios de Pernambuco e conferir as informações no Comando Policial, o Blog do Carlos Eugênio registrou o problema de saúde da Conselheira
Tutelar, Adriana Bezerra, e noticiou a convocação da C
onselheira Suplente, Odete Nativo (relembre clicando AQUI), não tendo
recebido, portanto, a informação de pessoas físicas e sim apurado junto ao Documento Oficial.