BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
sexta-feira, 04 de dezembro de 2020

Contando com a participação de
representantes do segmento Hospitalar e de Vigilância em Saúde do Município, bem
como da Gerência da V GERES, a 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania
de Garanhuns promoveu ontem, dia 3, uma reunião para avaliar a necessidade de
ampliação dos leitos para tratamento de pacientes com COVID-19.
 

Apesar da informação do Ministério
Público, de que na noite da última quarta-feira, dia 2, mais 80% dos leitos de
UTI (em Garanhuns, que é referência para o Agreste Meridional), destinados ao
tratamento de pacientes com COVID-19 estavam ocupados, no encontro virtual mediado
pelo Promotor Domingos Sávio, foi relatado que a situação ainda não exige a
imediata ampliação de leitos.

De acordo com o diretor Médico
do Hospital Regional Dom Moura, Paulo Mendonça, apesar de a situação “ligar o
alerta”, não há necessidade imediata de expansão de leitos de UTI no Município.
Para o Médico “é necessário verificar a evolução dos casos dentro de um período
mínimo de 15 dias”. Mendonça ainda alertou para a necessidade de maior
fiscalização dos estabelecimentos e eventos que promovem aglomerações e sugeriu
que a situação dos leitos do Município volte a ser avaliada em nova reunião na
próxima semana.

Já para Catarina Tenório, que é Gestora
da V GERES e do Hospital Regional Dom Moura, a situação de disponibilidade de
leitos segue dentro da normalidade e que a Região continua com os 275 leitos de
retaguarda pactuados e que “nunca teve problemas com eles”. Para UTI, segundo
Tenório, “até o momento nunca ficou sem assistência, mesmo no pico, de julho
para agosto, pois o fluxo com a regulação de leitos do Estado está funcionando
bem, e que a Região está bem assistida”. Ainda segundo Catarina Tenório, diariamente,
é feita uma avaliação da evolução do quadro, das necessidades e das demandas, e
garantiu que “se surgir a necessidade de abrir novos leitos de UTI, será a
primeira a alertar e sinalizar para mais estrutura”.
 

Ainda durante a reunião, o
diretor da UPAE/Garanhuns, Gustavo Amorim, registrou que diante da diminuição
da demanda da COVID e da necessidade de retomar o atendimento ambulatorial das
especialidades médicas da UPAE, os dez leitos de UTI COVID, que funcionavam na
UPAE foram desmobilizados por ordem da Secretaria de Saúde do Estado. Ainda
segundo Amorim, também foram desligados os Médicos e mais 85 profissionais que
haviam sido contratados para tais serviços. “Desmontaram toda a estrutura;
foram feitas obras físicas; se precisar que a Unidade volte a oferecer
atendimento COVID, terá que recomeçar praticamente do zero, avalia; de qualquer
forma, isso dependeria de uma determinação da Secretaria de Saúde do Estado”,
registra trechos do Termo da Reunião Ministerial distribuída a Imprensa.  

Uma nova avaliação do quadro
de leitos será realizada na próxima semana aqui em Garanhuns. De acordo com o Promotor
Domingos Sávio, o novo encontro junto aos membros da saúde Municipal, Estadual e
Privada foi marcada para a próxima quinta-feira, dia 10 de dezembro. Clique AQUI e confira o Termo da Reunião Ministerial na Integra.