w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | terça-feira, 31 de outubro de 2017

O trabalho desenvolvido pela
Secretaria Municipal de Mulher de Garanhuns foi destaque no Jornal do Commercio
de hoje, dia 31, dentro da série de reportagens “A Culpa não é Delas”, em que o
jornal aborda questões relacionadas a violência contra as mulheres pernambucanas.
A reportagem destacou como a
oferta de serviços públicos de qualidade pode tornar a Cidade menos insegura
para as mulheres e trouxe como exemplo Garanhuns, que através do Governo
Municipal, implementou uma série de ações que garantem mais segurança para as
mulheres. Confira a reportagem na Integra:
“SIM, É POSSÍVEL. A LIÇÃO QUE VEM
DE GARANHUNS
Prevenção + educação. A aposta
que o município de Garanhuns, no Agreste de Pernambuco, fez para enfrentar a
violência de gênero começa a dar os primeiros frutos. No Estado, a cidade é uma
das principais parceiras da ActionAid Brasil na implantação do projeto Cidades
Seguras.
O resultado repercute diretamente
na rotina das mulheres. Ruas e avenidas que antes eram escuras e perigosas
ganharam iluminação de LED. Mototaxistas foram cadastrados para coibir os casos
de assédio sexual. Mas uma das iniciativas mais bem sucedidas é a Lei da Parada
Segura, que permite a todas as mulheres, após as 22h, descerem no ponto que
escolherem, ficando mais perto de casa.
Enquanto aguarda o ônibus, no
final da noite de mais de um dia de trabalho, a auxiliar administrativa Ana
Lúcia da Silva não tem como escapar da sensação de insegurança. “As ruas ficam
desertas e o posto policial, localizado em frente à parada, sempre está vazio.
É um alívio quando o ônibus chega”, conta. Ela diz que os motoristas já estão
acostumados a atender os pedidos das mulheres. “Eles sempre se disponibilizam a
parar onde a gente quer descer. Isso já ajuda muito na volta para casa.” “É
questão de segurança. Agora não tenho mais que enfrentar o trecho escuro que
ficava entre a parada de ônibus e a minha residência”, confirma a estudante
Paula Cavalcante.
“A gente fez um trabalho com as
Secretarias das Mulheres de vários Municípios. Mas fomos muito exitosos em
Garanhuns e em Caruaru. Nesses municípios, nós conseguimos construir um plano
de cidade segura que dialogava com várias secretarias. Isso ajudou a
transformar a ideia em realidade”, diz a coordenadora da área de direitos
humanos da ActionAid Brasil, Ana Paula Ferreira.

Somada às ações de prevenção, a gestão
municipal investiu forte na educação. O Projeto Lei Maria da Penha nas Escolas
concentra os esforços em levar conhecimento para alunos e pais sobre a
violência contra a mulher. “Isso já faz parte da matriz curricular da escola.
Os estudantes do ensino fundamental trabalham a questão da violência doméstica.
Essa é uma frente muito importante que vem puxando todas as outras, como as
rodas de diálogo nas comunidades e o Cine Mulher, onde aprofundamos vários
aspectos da violência de gênero e como denunciá-la”, afirma a secretária
municipal da Mulher, Eliane Vilar (a pasta atualmente é chefiada por Valkiria
Alves). Ela diz que a integração entre as secretarias foi determinante para os
resultados do projeto em Garanhuns. “Aqui a gente fez a violência contra a
mulher virar um problema de todos.”



(Com informações e imagens do
Jornal do Commercio, de 31/10/2017. CONFIRA)