BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
quarta-feira, 28 de outubro de 2020

A disputa política aqui em
Garanhuns trouxe à tona acontecimentos vivenciados nos anos de 1999 e 2002, o
fim das operações da Fábrica da Coca-Cola e a Instalação do Presídio Feminino,
respectivamente. Os temas voltaram a discussão política e vem recheando a
propaganda eleitoral do candidato a Prefeito Sivaldo Albino (PSB), que acusa o
candidato Silvino Duarte (PTB), que era Prefeito, de ter sido “omisso” nos dois
acontecimentos.

Mas segundo o empresário Ivan
Júnior, que em 2001 assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de
Garanhuns, a saída da Coca-Cola de Garanhuns não deve ser atribuída a Silvino e
sim a uma decisão da cúpula internacional da multinacional.

“Em 1999 a Coca-Cola
Guararapes construiu um parque fabril em SUAPE, sendo considerado como o mais
moderno da América Latina, e com isso, numa decisão da Coca-Cola Internacional,
foram fechadas algumas Unidades do Nordeste, dentre elas aqui em Garanhuns.
Hoje a Empresa possui fábricas em Jaboatão dos Guararapes, Suape, Petrolina e
João Pessoa, além de quatro centros de distribuição, inclusive um aqui em
Garanhuns, que distribui os produtos da marca para o Agreste e parte do Sertão
pernambucano, gerando mais de cem empregos. Como não foi possível ter a
Fábrica, conseguimos, à época, graças a nossa articulação municipal manter o
Centro de Distribuição”, registrou Ivan Júnior.

Já em relação ao Presídio
Feminino na Várzea, instalado em Garanhuns em 2002, enquanto Sivaldo acusa
Silvino de “não fazer nada” quando o Governador Jarbas Vasconcelos (MDB) decidiu
instalar a Unidade na Cidade, Duarte ressalta que a “responsabilidade por
instalar, manter e desativar unidades prisionais é exclusiva do Governo do
Estado”. Anos depois, o Governador Eduardo Campos resolveu desativar o
Presídio. Atualmente, funciona no espaço a Cadeia Pública de Garanhuns, órgão
que é administrado pelo Governo do Estado.
 

“Sei que discutir algo que se
consumou há mais de vinte anos pode ser importante dentro de uma estratégia
política, mas em termos práticos não melhora a situação econômica de Garanhuns.
Defendo que o momento é de olhar para frente. De buscarmos parcerias, de
viabilizar incentivos e trazermos investimentos para Garanhuns, inclusive no
segmento do agronegócio. Isso sim vai contribuir para o desenvolvimento de
nossa Cidade e gerará novos postos de trabalho para a nossa gente”, observou o
empresário Ivan Júnior.