w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | sexta-feira, 25 de outubro de 2013

O presidente da Compesa, Roberto Tavares, garantiu ontem
no Recife que três dos quatro lotes da Adutora do Agreste irão ficar
prontos antes do previsto. Pelas suas contas, os lotes 2,3 e 4, que irão
beneficiar as cidades de Arcoverde, Alagoinha, Venturosa, Pedra, Buíque,
Tupanatinga, Itaíba, Águas Belas, Iati, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe, estarão
prontos em novembro de 2014, antes da conclusão do Eixo Leste da transposição
do rio São Francisco.
Já os lotes 1 (que atenderá Pesqueira, Sanharó, Belo
Jardim, Tacaimbó, São Caetano e Caruaru e o lote 5 (Gravatá, Bezerros,
Cachoeirinha, Brejo da Madre de Deus, São Bento do Una e Lajedo) da
Adutora estão previstos para ficarem prontos em junho de 2015. A obra foi
iniciada há três meses e está 10% concluída. 
Até agora, segundo a Compesa, já foram aplicados na obra R$ 71,8 milhões
de um total de R$ 993,43 milhões que estão programados.
A Compesa assinou um contrato, nesta semana, com o
consórcio formado pelas empresas Concremat, Projetec, Engeconsult e Techne para
serviços de gerenciamento, fiscalização, assessoria técnica e elaboração dos
programas ambientais das obras da Adutora. Orçado em R$ 36 milhões, será o
maior contrato de engenharia consultiva da história da companhia. O contato
terá vigência de 28 meses e atenderá a todas as fases da Adutora. Segundo o
presidente Roberto Tavares, a Compesa não dispõe de estrutura para gerenciar e
fiscalizar um projeto dessa magnitude.

A Adutora do Agreste irá transportar 4 mil litros de água
por segundo do rio São Francisco para 68 cidades Agreste pernambucano. (Com Informações do Jornalista Inaldo Sampaio)