w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | quarta-feira, 20 de abril de 2022

 

Um salão de beleza e um serviço de design de sobrancelhas, localizados nas Graças, Zona Norte do Recife, foram vítimas do golpe do Pix. O golpe, aplicado de forma simples, causou um prejuízo que chega a R$ 6 mil, segundo a denúncia. As empresas pertencem a uma mesma proprietária. Segundo o boletim de ocorrência registrado esta semana pela gerente dos estabelecimentos, uma determinada cliente (o nome não foi  divulgado) realizou cerca de 13 procedimentos entre os meses de fevereiro e abril deste ano. Segundo o relato da gerente, a cliente sempre optava pelo pagamento dos serviços com Pix, sistema bancário de transferência eletrônica de valores.

 

 

GOLPE – O que os funcionários do salão demoraram a perceber, é que o comprovante de pagamento apresentado pela cliente era falso. Finalmente, notaram que os valores das despesas feitas por ela nunca entravam na conta da empresa. Foi quando os funcionários perceberam que se tratava de um golpe. “A autora enviava um print da tela com o valor a pagar. O pagamento mesmo nunca era efetuado”, detalha o advogado criminalista Leandro Pereira, que representa a empresa fraudada. “Como o salão é muito frequentado e o balanço financeiro não era feito diariamente, houve uma demora em se notar o desfalque no faturamento”, explica o Advogado, garantindo que a prática se enquadra no crime de estelionato, com pena de até cinco anos de reclusão e multa.

 

 

PREVENÇÃO – O Advogado orienta como não cair neste tipo de golpe. “Não se deve confiar em prints de telas, é importante verificar, imediatamente, se o valor já entrou na conta, antes até de emitir a nota fiscal”, esclarece. Leandro pontuou ainda que uma das características do Pix é a transferência instantânea de valores. “Se em poucos minutos o dinheiro não cair na conta do destinatário, algo está errado”, resumiu Leandro Pereira. (Com informações de Edilson Vieira/Economia/JC Online. CONFIRA)