w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | terça-feira, 04 de fevereiro de 2014

Para combater a seca que assola o Nordeste desde 2011 e
que já deixou 65 municípios pernambucanos em estado de emergência, a Fundação
Nacional de Saúde (Funasa) garantiu que deverá instalar três mil cisternas de
polietileno em 14 cidades de Pernambuco até junho deste ano. A estimativa é de
contemplar cerca de 15 mil agricultores com a medida de combate à estiagem que
assola o Nordeste, considerada a pior dos últimos 50 anos.
As cidades beneficiadas serão Calçado, Jupi, Capoeiras, Brejão,
Chã Grande, Gravatá, Passira, Frei Miguelinho, Taquaritinga do Norte e Vertente
do Lério, no Agreste Pernambucano, Cabrobó e Carnabueira da Penha, localizadas
na Região do São Francisco, além de Salgueiro e Mirandiba, no Sertão do Estado.
Os reservatórios, que possuem capacidade para armazenar
16 mil litros de água cada, deverão ser alimentados tanto pela água da chuva
quanto por carros-pipa que foram enviados aos Municípios. A expectativa é que a
reserva dê para abastecer uma família de quatro ou cinco pessoas por até nove
meses.

A ação faz parte do plano de universalização do acesso à
água do Governo Federal, ligado ao Ministério da Saúde, do qual a Funasa faz
parte. Na região atingida pela estiagem, estima-se que cerca de 40 mil famílias
estão sendo beneficiadas pelas cisternas de polietileno, que também estão sendo
entregues pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e pela
Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba
(Codevasf).