w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | segunda-feira, 11 de julho de 2022

 

Faltando poucos dias para o início do 30º Festival de Inverno de Garanhuns, o Coletivo Acuenda, composto por drag queens da cidade de São Paulo, publicou uma nota informando que uma peça do grupo havia sido retirada da programação oficial de forma repentina, mesmo após a divulgação completa da grade. Apesar do princípio de polêmica, a Secretaria de Cultura de Pernambuco e a Fundarpe negaram que o Coletivo tenha sido excluído da grade artística do Evento. 

 

 

A peça “Cabaré D’água: Nosso Corpo é Político” foi aprovada no edital do FIG e divulgada na programação oficial em coletiva de imprensa, que ocorreu no dia 30 de junho, dentro da sessão “Teatro Alternativo – CPC/SEC” do dia 21 de julho. O espetáculo faria um cortejo de drag queens na cidade de Garanhuns, culminando no espaço de Teatro Alternativo do Sesc. De acordo com o texto do Acuenda, a Secretaria de Cultura/Fundarpe entrou em contato com o coletivo na última sexta-feira, dia 8, e apresentou a justificativa que “o grupo artístico não deveria ter entrado na programação”. Os artistas questionaram o fato de a obra ter sido classificada em segundo lugar na Categoria de Teatro ao Ar Livre e, mesmo após documentação em vias de contratação e a logística montada, ser cancelada.

 

 

“Perucas compradas, ensaios acontecendo, figurino, prejuízo grande. A funcionária da Secult-PE, Irene Veiga, nos ligou retirando da programação. Não é novidade que em anos de eleições estaduais, para não se desgastar com o público mais extremista, o FIG age cancelando irresponsavelmente os grupos artísticos. O que não é coincidência é censurar corpos LGBTQIA+, como foi o caso da atriz trans Renata Carvalho em 2018”, afirma David Costa, ator-drag queen do Coletivo Acuenda.

 

 

O QUE DIZ A SECRETARIA DE CULTURA/FUNDARPE – Em nota divulgada no portal cultura.pe.gov.br e nas redes sociais do FIG, a Secult-PE e a Fundarpe negam que o Coletivo Acuenda tenha sido excluído da grade artística da 30º edição. Eles afirmam que as tratativas se resumiram a solicitações de fins burocráticos. “O Coletivo Acuenda nunca foi excluído da grade artística da 30ª edição, que segue disponível para consulta pública no portal: www.cultura.pe.gov.br. As tratativas se resumiram a solicitação de documentos para confirmação do processo de contratação do referido grupo. A Coordenação Geral do FIG 2022 permanece contando com o Coletivo Acuenda em sua programação”, diz a Nota. Confira a programação oficial do evento clicando AQUI. (Com informações do JC Online. CONFIRA)