w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | terça-feira, 06 de novembro de 2018

 
O presidente eleito Jair Bolsonaro defendeu, nessa segunda-feira, dia 5,
que alunos filmem seus professores, como havia aconselhado a Deputada Eleita Ana Caroline
Campagnolo, do mesmo partido do Presidente Eleito
, o PSL
,
para combater o que consideram “doutrinação” escolar.
“Eu sou professor de educação física também, pode filmar, não
vejo problema algum”, afirmou em entrevista ao programa Brasil Urgente, da
TV Bandeirantes, quando questionado se essa prática não pode ser considerada
autoritária. “Acho que professor tem que se orgulhar” caso um
aluno pergunte “‘Professora, posso filmar tua aula?’ para ver em casa
novamente. Eles têm que se orgulhar disso aí e não ficar preocupados”, acrescentou
o Presidente Eleito. 
ESCOLA SEM PARTIDO – Bolsonaro também defendeu o projeto de lei
apelidado de “Escola Sem Partido”, que tramita no Congresso, e prevê
limitar a atuação dos professores em sala. 
Suas declarações vêm depois que o Ministério Público abriu, na semana
passada, uma investigação sobre a deputada eleita Ana Caroline Campagnolo (PSL)
por incitar os estudantes do Facebook a filmar e denunciar professores
“irritados” com o resultado das eleições, que procuram
“doutrinar” seus alunos. O MP considera que Campagnolo cometeu
“assédio moral” com seu apelo, que ameaça “a liberdade e a
pluralidade da educação”. Também na última terça-feira, uma
instituição de ensino em Minas Gerais (sudeste) pediu ao Ministério Público que
investigasse um vídeo, de data desconhecida, no qual Bolsonaro cita nome e
sobrenome de professores que teriam defendido os regimes de Cuba e Coreia do
Norte diante de seus alunos. (Com
informações do JC Online. CONFIRA)