w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

 
A Comissão de Educação aprovou, nesta terça-feira, dia 27, parecer do
senador Armando Monteiro (PTB) a projeto de lei criando a Universidade Federal
do Agreste de Pernambuco (UFAPE), com sede no município de Garanhuns. O
projeto, oriundo da Câmara dos Deputados, segue à votação do plenário do Senado
e retorna em seguida ao exame final da Câmara.
A UFAPE, cuja implantação está orçada em R$ 121 milhões, resultará do
desmembramento do campus da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), em
Garanhuns, que deixará de ter a estrutura de Unidade Acadêmica, passando a ser
uma Universidade, com Reitor, Vice-reitor e mais professores e servidores
administrativos. “Vencemos uma luta de muitos anos e me orgulho, como
pernambucano, de ter contribuído para esta vitória. Tenho certeza de que a
comunidade do Agreste vai comemorar com entusiasmo”, assinalou Armando. O
senador petebista disse que, embora ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e
Comércio Exterior do governo Dilma Rousseff, faz questão de ressaltar “o papel
importante” do ministro da Educação, Mendonça Filho, “meu conterrâneo”, na
criação da UFAPE.
AVANÇO – O parecer de Armando Monteiro destaca que a implantação
da UFAPE é “extremamente relevante para o Agreste de Pernambuco e para o avanço
do processo de democratização do acesso à educação superior no estado”. A
escolha de Garanhuns para sediar a UFAPE se justifica não apenas por aproveitar
as instalações locais da Universidade Federal Rural como, pontua o parecer,
“pela relevância socioeconômica e cultural do município, polo de
desenvolvimento da microrregião do Agreste Meridional”.

Segundo o parecer de Armando, elaborado sobre projeto de lei que cria a
Universidade Federal do Delta do Parnaíba, no Piauí, os alunos do campus da
Universidade Federal Rural de Pernambuco passam a integrar automaticamente a
UFAPE. O parecer do petebista determina a criação dos cargos de Reitor e Vice-reitor
e de 600 cargos de Professor na nova universidade federal, além de Cargos
Administrativos, o que significa novos concursos públicos e vagas de emprego na
Cidade. (Com informações da Assessoria)