w="300" h="250">
BUSCA DE NOTÍCIAS 2021
BUSCA DE NOTÍCIAS DE 2013 A 2020
BLOG DO CARLOS EUGÊNIO | terça-feira, 22 de setembro de 2020

 

Os alunos do ensino médio, de
escolas públicas e privadas, serão os primeiros a voltar às aulas presenciais
em Pernambuco, em outubro. Estudantes da educação infantil e do ensino
fundamental permanecerão com atividades online e não há previsão, ainda, de
datas para que essas crianças retornem aos Colégios.
 

A informação foi repassada
pelo Governo Estadual durante coletiva de imprensa online realizada na tarde
dessa segunda-feira, dia 21. O Estado completa 188 d
ias com escolas fechadas,
desde 18 de março. Os concluintes do ensino médio, ou seja, alunos do 3º ano,
poderão ir pra escola a partir do dia 6 de outubro. Na semana seguinte, em 13
de outubro, retornarão os estudantes do 2º an
o. Em seguida, em 20 de outubro,
retomam os adolescentes do 1º ano do ensino médio. Cursinhos pré-vestibulares,
que absorvem uma grande parcela de candidatos do Enem, também estão autorizados
a retomar aulas presenciais a partir de 6 de outubro.
 

“A decisão do retorno, neste
momento, é de competência de cada pai ou responsável. A volta será
opcional”, ressaltou o secretário estadual de Educação, Fred Amancio.
“Continuaremos nas nossas escolas estaduais ofertando o ensino remoto. O
que sugerimos que aconteça também nas outras redes”, diz Fred.
“Ao longo de outubro vamos tomar as decisões que envolvem a educação
infantil e o ensino fundamental”, destacou o secretário de Educação.
 

Uma das justificativas para o
retorno começar com os vestibulandos é porque eles farão as provas do Enem em
janeiro e fevereiro (dias 17 e 24 de janeiro na versão impressa e 31 de janeiro
e 7 de fevereiro na versão digital). Dos 5,8 milhões de inscritos no País,
315.693 responderão o exame em Pernambuco. Também porque os concluintes do
ensino médio terão as provas do vestibular seriado da UPE e outros processos
seletivos para ingresso no ensino superior.

PROTOCOLO – O Governo de
Pernambuco informa ainda que alunos, professores e trabalhadores de educação
que integram grupos de risco, em escolas públicas e privadas, não devem
retornar, caso não tenham se infectado antes. 

Além disso, segundo o
Governo, algumas medidas devem ser observadas, obrigatoriamente nesse regresso
das aulas, dentre elas, o uso de máscaras; distanciamento de 1,5 metro entre os
estudantes e entre os equipamentos escolares – como as bancas e cadeiras –
lavagem das mãos e uso do álcool em gel, orientações para todos nas escolas,
monitoramento e testagem dos casos suspeitos e de seus contactantes.
(Com
informações do JC Online. CONFIRA)